Gotas de Poesia Poesia&Vida

20 de maio de 2020 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

Natasha Felix
poetas

Com apenas 19 anos de idade, Natasha Felix também tem marcado presença em várias revistas, mostrando, desde já, uma poesia no melhor estilo soco no estômago. As referências podem ir de Roberto Piva às prostitutas da Mongólia, passando por Johnny Cash, metrô da Sé e outros tantos elementos urbanos, construindo uma voz que fala de trepadas e balas perdidas, uma voz que arranha o cotidiano e rasga, abruptamente, a nossa tentativa de civilização.

craquelada

tenho habitado muitos riscos.
o baiacu inchado na garganta insiste em
me competir o ar. como trepar em montevidéu
e acordar no jaguaré: genealogia do deslocamento –
me abstenho de maiores explicações.
li piva como quem toma chá de camomila com canela
assim descobri que o erro é um bacanal lotado de ex
marido. não dá pra ler piva antes do dejejum de uma
segunda-feira do mesmo jeito que não dá pra esperar
o baiacu sair da garganta por vontade divina. tenho
ficado muito quieta &
no silêncio a evidência me expõe:
a memória das sereias do tejo, essa eu invejo; das
prostitutas da Mongólia tenho os mesmos dentes
vermelhos. não sei onde guardei as fotos da
ultima ida ao mercadão de são paulo. onde deixei
o molho de chave, onde foi parar aquele gozo na páscoa de 98,
o jornal pra embalar os cacos de vidro, não sei onde. o
baiacu espinha minha glote, me impede a distância.
mesmo assim eu e o que restou das minhas
lembranças tombadas – nebulosas e uruguaias
como você –
no ringue,
lutando contra o peixe, eu.