Allen Guinsberg

20 de março de 2016 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

Faço uma  Homenagem a um cara  que  é um louco delicioso, tenho   seu livro Uivo,  como um dos grandes de todos os tempos,admiro pela sua audácia, pela sua ironiaTerceira Avenida30 & cambalearam até as agências de desemprego,31 que caminharam a noite toda com os sapatos cheios de sangue pelo cais coberto por montões de neve,32 esperando que uma porta se abrisse no East River dando para um quarto cheio de vapor e ópio, que criaram grandes dramas suicidas nos penhascos de apartamentos do Hudson à luz azul de holofote antiaéreo da lua & suas cabeças receberão coroas de louro no esquecimento, que comeram o ensopado de cordeiro da imaginação ou digeriram o caranguejo do fundo lodoso dos rios de Bovery, 33 que choraram diante do romance das ruas com seus carrinhos de mão cheios de cebola e péssima música, que ficaram sentados em caixotes respirando a escuridão sob a ponte e ergueram-se para construir clavicórdios em seus sótãos,34 que tossiram num sexto andar do Harlem coroado de chamas sob um céu tuberculoso rodeados pelos caixotes de laranja da teologia,35 que rabiscaram a noite toda deitando e rolando sobre invocações sublimes que ao amanhecer amarelado revelaram-se versos de tagarelice sem sentido,36 que cozinharam animais apodrecidos, pulmão coração pé rabo borsht37 & tortillas sonhando com o puro reino vegetal, que se atiraram sob caminhões de carne em busca de um ovo, que jogaram seus relógios do telhado38 fazendo seu lance de aposta pela Eternidade fora do Tempo & despertadores caíram nas suas cabeças por todos os dias da década seguinte,