O que se esconde??

 

O que se esconde atrás   desse meu sorriso tão inocente??

 

O que tem  por traz desse olhar cheio de candura ??

 

O que se esconde no outro lado da cidade.

 

Eu e o meu Eu  estão aflitos,e inquietos não se sabe bem porque.

 

Não não me ligue agora não quero saber de ninguém ,

 

Quer saber? Muito menos de  mim.


As vezes não me aceito. Tem alguns impulsos dentro de mim que não tem explicação.

 

Quem sabe com  o chegar na noite eu me aquiete.

O quese Esconde ??poesia&vida

Me desculpem estar  falando de  futebol, pois o tema  e cultura em geral mais o blog e aberto,.  mais não tem como não  não falar de Futebol, pois como sabem  a Copá ta ai,

Então  vamos lá, hoje sábado dia 30  tivemos 2 grandes jogos. França x Argentina e Portugal e França. Foi bonito   mais triste  tb pois Messi e Cristiano Ronaldo. O 1  como sempre não brilhou com a camisa Argentina, enquanto que o  o Cristiano enquanto teve na Copa jogou brilhantemente marcando três gols logo de cara,

A copa segue e com coração parecendo que vai  saltar do peito esperamos pela tensa segunda feira,que venha o México!!!!

Prá cima deles Brasil

 

 

Me desculpem assinantes e seguidores

VIDA E SENTIDO – Autor: Joaquim Barros

TOMO I

Dogmas não me satisfazem
Não sou uma suposição incondicional
Sou vida, sou animal
Vida que não sei se é
O que de fato sinto por ela
Morte que a dá sentido
Num exaustivo interagir
Que me deixa aflito
Por descobrir.

Sou fé sem milagres
Distingo-me dos meus pares
Internos os pares, pois
Há multiplicidade encarnada na mesma carne
Que alma resiste?

Se o implacável tempo
Este ser perverso que não cede
Faz-me alma em vida
A vida hoje, a vida outrora
E amanhã a morte anunciada
Como viroses de outono,
Com suas nuvens carregadas.

VIDA E SENTIDO – Autor: Joaquim Barros TOMO

Motivo
Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.

Retrato
Eu não tinha este rosto de hoje,
Assim calmo, assim triste, assim magro,
Nem estes olhos tão vazios,
Nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,
Tão paradas e frias e mortas;
Eu não tinha este coração
Que nem se mostra.

Eu não dei por esta mudança,
Tão simples, tão certa, tão fácil:
— Em que espelho ficou perdida
a minha face?

Cecília Meireles

Pular para a barra de ferramentas