Quer saber mais sobre esse gênio??

6 de fevereiro de 2021 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

Albert Einstein
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Albert Einstein (desambiguação) ou Einstein (desambiguação).
Albert Einstein

Einstein em 1921
Nascimento 14 de março de 1879
Ulm, Reino de Württemberg
Império Alemão
Morte 18 de abril de 1955 (76 anos)
Princeton, Nova Jersey
Estados Unidos
Residência Alemanha,
Itália,
Suíça,
Estados Unidos
Nacionalidade alemão, suíço, estadunidense
Progenitores Mãe: Pauline Koch
Pai: Hermann Einstein
Cônjuge Mileva Marić (1903–1919)
Elsa Löwenthal (1919–1936)
Filho(s) Lieserl Einstein
Hans Albert Einstein
Eduard Einstein
Alma mater Instituto Federal de Tecnologia de Zurique
Universidade de Zurique
Ocupação físico
Principais trabalhos relatividade geral
relatividade restrita
movimento browniano
efeito fotoelétrico
equivalência massa-energia
equações de campo de Einstein
estatística de Bose-Einstein
paradoxo EPR
Prêmios Veja Prêmios e honrarias recebidos por Albert Einstein
Assinatura
Albert Einstein signature 1934.svg
Albert Einstein (Ulm, 14 de março de 1879 — Princeton, 18 de abril de 1955) foi um físico teórico alemão que desenvolveu a teoria da relatividade geral, um dos pilares da física moderna ao lado da mecânica quântica. Embora mais conhecido por sua fórmula de equivalência massa-energia, E = mc² — que foi chamada de “a equação mais famosa do mundo” —, foi laureado com o Prêmio Nobel de Física de 1921 “por suas contribuições à física teórica” e, especialmente, por sua descoberta da lei do efeito fotoelétrico, que foi fundamental no estabelecimento da teoria quântica.

Nascido em uma família de judeus alemães, mudou-se para a Suíça ainda jovem e iniciou seus estudos na Escola Politécnica de Zurique. Após dois anos procurando emprego, obteve um cargo no escritório de patentes suíço enquanto ingressava no curso de doutorado da Universidade de Zurique. Em 1905 publicou uma série de artigos acadêmicos revolucionários. Uma de suas obras era o desenvolvimento da teoria da relatividade especial. Percebeu, no entanto, que o princípio da relatividade também poderia ser estendido para campos gravitacionais, e com a sua posterior teoria da gravitação, de 1916, publicou um artigo sobre a teoria da relatividade geral. Enquanto acumulava cargos em universidades e instituições, continuou a lidar com problemas da mecânica estatística e teoria quântica, o que levou às suas explicações sobre a teoria das partículas e o movimento browniano. Também investigou as propriedades térmicas da luz, o que lançou as bases da teoria dos fótons. Em 1917, aplicou a teoria da relatividade geral para modelar a estrutura do universo como um todo. Suas obras renderam-lhe o status de celebridade mundial enquanto tornava-se uma nova figura na história da humanidade, recebendo prêmios internacionais e sendo convidado de chefes de estado e autoridades.

Estava nos Estados Unidos quando o Partido Nazista chegou ao poder na Alemanha, em 1933, e não voltou para o seu país de origem, onde tinha sido professor da Academia de Ciências de Berlim. Estabeleceu-se então no país, onde naturalizou-se em 1940. Na véspera da Segunda Guerra Mundial, ajudou a alertar o presidente Franklin Delano Roosevelt que a Alemanha poderia estar desenvolvendo uma arma atômica, recomendando aos norte-americanos a começar uma pesquisa semelhante, o que levou ao que se tornaria o Projeto Manhattan. Apoiou as forças aliadas, denunciando no entanto a utilização da fissão nuclear como uma arma. Mais tarde, com o filósofo britânico Bertrand Russell, assinou o Manifesto Russell-Einstein, que destacou o perigo das armas nucleares. Foi afiliado ao Instituto de Estudos Avançados de Princeton, onde trabalhou até sua morte em 1955.

Realizou diversas viagens ao redor do mundo, deu palestras públicas em conceituadas universidades e conheceu personalidades célebres de sua época, tanto na ciência quanto fora do mundo acadêmico. Publicou mais de 300 trabalhos científicos, juntamente com mais de 150 obras não científicas. Suas grandes conquistas intelectuais e originalidade fizeram da palavra “Einstein” sinônimo de gênio. Em 1999, foi eleito por 100 físicos renomados o mais memorável físico de todos os tempos. No mesmo ano, a revista TIME, em uma compilação com as pessoas mais importantes e influentes, classificou-o a pessoa do século XX.

Índice
1 Início de vida
1.1 Primeiros anos e educação
1.2 Família e início de carreira
2 Carreira acadêmica
2.1 Do escritório de patentes à consagração
2.2 Viagens para o exterior
2.3 Instituto de Estudos Avançados
2.4 Projeto Manhattan e a cidadania norte-americana
2.5 Últimos anos e morte
3 Contribuições científicas
3.1 Artigos do Ano Miraculoso
3.2 Relatividade, E=mc² e o princípio da equivalência
3.3 Mecânica quântica e relacionados
3.4 Teoria do campo unificado e cosmologia
3.5 Fótons, átomo e quantum de energia
3.6 Teoria da opalescência crítica
3.7 Argumento do buraco e teoria Entwurf
3.8 Flutuações termodinâmicas e física estatística
3.9 Pseudotensor de momento de energia
3.10 Colaboração com outros cientistas
4 Vida pessoal
4.1 Política e religião
4.2 Amor pela música
5 Legado
6 Prêmios e honrarias
7 Publicações
8 Ver também
9 Notas
10 Referências
11 Bibliografia
11.1 Fontes primárias
11.2 Fontes secundárias
12 Ligações externas
Início de vida
Primeiros anos e educação

Monumento no local onde Einstein nasceu, em Ulm
Albert Einstein nasceu em Ulm, no Reino de Württemberg, Império Alemão (atual Baden-Württemberg, Alemanha), em 14 de março de 1879.[1] Seus pais eram Hermann Einstein, um vendedor e engenheiro, e Pauline Einstein (nascida Koch). Os Einstein eram judeus asquenazes não praticantes. Em 1880 a família mudou-se para Munique, onde seu pai e tio fundaram a Elektrotechnische Fabrik J. Einstein & Cie, empresa que fabricava equipamentos elétricos acionados por corrente contínua.[2][3] Um ano mais tarde seus pais deram à luz a uma menina, Maria “Maja” Einstein, sua irmã mais nova.[4][5] Com cinco anos de idade o jovem Albert estudou em uma escola primária católica durante três anos.[6] Aos oito foi transferido para o Ginásio Luitpold, hoje conhecido como Ginásio Albert Einstein, onde recebeu educação escolar primária e secundária, até deixar a Alemanha sete anos depois.[7] Seu tio Jacob, um engenheiro, e Max Talmey, um jovem estudante pobre de medicina que jantava na casa da família uma vez por semana entre 1889 e 1894, foram grandes influências durante seus anos de formação. Eles incentivaram sua curiosidade inerente e insaciável sobre tudo. Talmey trouxe livros populares de ciência, incluindo Crítica da Razão Pura de Immanuel Kant, que Einstein começou a ler.[8][9]

Einstein com cerca de 14 anos, 1894
Em 1894, a empresa de seu pai faliu: a corrente contínua perde