Um pouco da vida de Nélsom Mota pra vocês

24 de abril de 2021 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

INÍCIO
PERFIL COMPLETO

MÚSICO E JORNALISTA

Nelson Cândido Motta Filho, é filho do advogado Nelson Cândido Motta e da dona de casa Maria Cecília Brito Motta. No Rio de Janeiro, para onde seus pais se mudaram quando ele tinha seis anos de idade, estudou nos colégios Santo Inácio e Princesa Isabel. Cursou um ano na Faculdade Nacional de Direito e quatro anos na Escola Superior de Desenho Industrial (Esdi). “Meu professor de redação na Esdi era Zuenir Ventura, um ídolo na escola. Nós o adorávamos. Ele falava coisas fascinantes sobre o jornalismo, que estava passando por grandes mudanças naquele tempo”, lembra.

Nelson Motta iniciou sua carreira no jornalismo em 1964, como estagiário na reportagem geral do Jornal do Brasil. Nessa época, ficou amigo de vários artistas que se tornariam figuras importantes no cenário musical brasileiro em movimentos como a Bossa Nova e o Tropicalismo. Em 1966, ganhou a fase nacional do I Festival Internacional da Canção com a música Saveiro, que compôs em parceria com Dorival Caymmi. “Eu participei do festival com uma das primeiras músicas com Caymmi. Fomos classificados e ganhamos. O tempo mostrou que a nossa música era boa.”

Na mesma época, fez suas primeiras participações na televisão, como crítico musical dos programas A Grande Chance e Um Instante, Maestro. No final de 1967, passou a assinar uma coluna diária sobre as novidades no panorama cultural, publicada no jornal Última Hora, de Samuel Weiner.

“A minha coluna se chamava Roda Viva. Falava sobre o cinema novo, o Teatro Oficina, a MPB, toda a área cultural, e até política, mas sob o ponto de vista da juventude. Samuel queria que a coluna fosse escrita por um jovem, com uma linguagem jovem, para um público jovem. Foi a primeira do gênero no Rio de Janeiro”.