Um pouco mais dos movimentos Literários

6 de maio de 2021 Off Por Pedro Taunay Graça Couto

vestibulares do país, como o Enem, desejam testar os conhecimentos, a interpretação e o repertório do estudante.
Afinal, tratam-se de movimentos que refletem o contexto de uma época, tanto no Brasil quanto ao redor do mundo. Ter conhecimento desse assunto mostra atualização também sobre os grandes acontecimentos sociais e históricos. Além de positivo para as questões objetivas, isso cumpre papel bastante útil ao desenvolver a redação do Enem.

E então, agora que você entendeu a importância dos movimentos literários, que tal continuar com a gente e conhecer mais a respeito do tema? Confira!

7 movimentos literários
Existem movimentos sociais, artísticos e literários. Cada um deles separa em diferentes critérios a evolução dos aspectos literários ao longo do tempo, sofrendo transformações segundo a mentalidade da sociedade, reformulações de lei etc.

Por exemplo, pense em diferentes álbuns de um mesmo artista que você gosta. Possivelmente, cada um deles representa uma fase distinta que o artista vive, do ponto de vista pessoal ou profissional, e isso é traduzido no estilo musical, capa do CD etc.

Em outras palavras, todos os álbuns, de modo individual, carregam significados próprios e, muitas vezes, até se opõem ao dialogar com o anterior.

1. Arcadismo ou Neoclassismo
O arcadismo surgiu no final do século XVII, período delicado para os brasileiros, durante o qual lidamos com a exploração predatória de Portugal. A nação da Península Ibérica enxergava em nosso país um poço de riquezas naturais que deveriam ser retiradas e levadas até a Europa.

Além disso, ocorriam ao redor do mundo algumas revoluções inspiradas na Francesa e na Industrial, exigindo melhores condições de vida e de trabalho. Tudo diante de uma realidade em que o trabalho exploratório nos centros urbanos era a única fonte de renda para boa parte das pessoas.

Nesse cenário, o movimento literário do período procurou refletir uma maior valorização da natureza e de conceitos bucólicos, criando oposição a linguagens rebuscadas e extravagância do movimento anterior, o barroco. O arcadismo buscava enaltecer a vida e hábitos simples que foram sendo colocados de lado, diante do crescimento de centros urbanos.

2. Barroco
Conforme mencionado, o barroquismo era caracterizado pelo exagero. Nas esculturas e arquitetura isso é representado, por exemplo e especialmente, nas igrejas folheadas a ouro. A ideia consistia em refletir a abundância de ouro da época, e muitas obras foram construídas pelos escravos, quando não estavam trabalhando para os senhores.

O contexto evidencia um período de escravidão, colonização e extermínio dos indígenas, em que conceitos religiosos ganharam mais espaço.

Uma demonstração válida: um dos principais representantes da literatura foi o padre Antônio Vieira, que em seus escritos não abria mão de exageros, como metáforas, jogos de linguagem e apóstrofes. E ainda, outro autor importante do período se chamava Gregório de Matos, que utilizou a escrita para satirizar a Igreja.

3.Romantismo
O romantismo surgiu no século XIX, período em que ideias abolicionistas ganharam força na maior parte dos lugares. A escravidão já havia terminado em vários locais, e o início da industrialização indicava a substituição da a mão de obra escrava pela de imigrantes europeus.